terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

A hora, o conto dramático



Joaquim Fernandes era um desses pesquisadores que a comunidade acadêmica acostumou apelidar CDF, abreviatura que os mais debochados, sem inibição ou constrangimento, ignoravam, preferindo substituir o jogo puritano e escamoteado pelo mais aberto e sincero, e sem meias palavras iam logo ao x da questão gritando pelos corredores, substituindo o ‘crânio de ferro’ pelo ‘ôh Joaquim cu de ferro’.

   Joaquim que de início se incomodava expondo os nervos por sobre a pele, aprendeu a relevar, até que adquiriu a capacidade de não mais se importar. Passou mesmo a gostar, a considerar uma estranha forma de reconhecimento, de deferência aos esforços despendidos, à abnegação emprestada, à perseverança no campo da investigação científica.



   Na universidade Joaquim trabalhava em pesquisa pura, preferencialmente. Mas sempre que restava um tempo gostava de comparar, correlacionar, cotejar, interagir os conhecimentos. Lecionava também.  A instituição universitária era uma das maiores do planeta, mas o cenário, pura desolação. Dentre mestres e doutores havia centenas, quase três milhares, mas a produção obtida era intangível, e quando existente, medíocre, inconsistente. Dominava o ambiente um caldo de rusgas, intrigas, ciúmes, inveja, politicagem e guerrinhas corporativas que conduziam os produtos e resultados às teias do voluntarismo, do oportunismo, e do carreirismo mais despudorado. 
 

   Somente as experiências desbravadoras, provocantes, e instigantes de Joaquim davam alguma luminescência aquele ambiente estéril, inóspito e assombrado. O experiente cientista não dava tréguas a si mesmo e, magistralmente, driblava o cansaço e o esgotamento, continuando sempre em frente, aprofundando suas investigações, lançando novos olhares sobre o que parecia evidente, submergindo num mundo que a civilização ignorava por completo. No momento, todo o seu interesse e sapiência se circunscreviam a um tipo diferente de peixe, a carpa Carassius carassius, diferente de todas as demais. (Para continuar a ler, clique aqui.



Para saber mais, clique na figura

Dramaturgo, o autor transferiu para seus contos literários toda a criatividade, intensidade e dramaticidade intrínsecas à arte teatral. 

São vinte contos retratando temáticas históricas e contemporâneas que, permeando nosso imaginário e dia a dia, impactam a alma humana em sua inesgotável aspiração por guarida, conforto e respostas. 

Os contos: 
1. Tiradentes, o mazombo 
2. Nossa Senhora e seu dia de cão 
3. Sobre o olhar angelical – o dia em que Fidel fuzilou Guevara 
4. O lugar de coração partido 
5. O santo sudário 
6. Quando o homem engole a lua 
7. Anos de intensa dor e martírio 
8. Toshiko Shinai, a bela samurai nos quilombos do cerrado brasileiro 
9. O desterro, a conquista 
10. Como se repudia o asco 
11. O ladrão de sonhos alheios 
12. A máquina de moer carne 
13. O santuário dos skinheads 
14. A sorte lançada 
15. O mensageiro do diabo 
16. Michelle ou a Bomba F 
17. A dor que nem os espíritos suportam 
18. O estupro 
19. A hora 
20. As camas de cimento nu 

OUTRAS OBRAS DO AUTOR QUE O LEITOR ENCONTRA NAS LIVRARIAS amazon.com.br: 

A – LIVROS INFANTO-JUVENIS: 
Livro 1. As 100 mais belas fábulas da humanidade 

I – Coleção Educação, Teatro & Folclore (peças teatrais infanto-juvenis): 
Livro 1. O coronel e o juízo final 
Livro 2. A noite do terror 
Livro 3. Lobisomem – O homem-lobo roqueiro  
Livro 4. Cobra Honorato 
Livro 5. A Mula sem cabeça 
Livro 6. Iara, a mãe d’água 
Livro 7. Caipora 
Livro 8. O Negrinho Pastoreiro 
Livro 9. Romãozinho, o fogo fátuo 
Livro 10. Saci Pererê 

II – Coleção Infantil (peças teatrais infanto-juvenis): 
Livro 1. Não é melhor saber dividir 
Livro 2. Eu compro, tu compras, ele compra 
Livro 3. A cigarra e as formiguinhas 
Livro 4. A lebre e a tartaruga 
Livro 5. O galo e a raposa 
Livro 6. Todas as cores são legais 
Livro 7. Verde que te quero verde 
Livro 8. Como é bom ser diferente 
Livro 9. O bruxo Esculfield do castelo de Chamberleim 
Livro 10. Quem vai querer a nova escola 

III – Coleção Educação, Teatro & Democracia (peças teatrais infanto-juvenis): 
Livro 1. A bruxa chegou... pequem a bruxa 
Livro 2. Carrossel azul 
Livro 3. Quem tenta agradar todo mundo não agrada ninguém 
Livro 4. O dia em que o mundo apagou 

IV – Coleção Educação, Teatro & História (peças teatrais juvenis): 
Livro 1. Todo dia é dia de independência 
Livro 2. Todo dia é dia de consciência negra 
Livro 3. Todo dia é dia de meio ambiente 
Livro 4. Todo dia é dia de índio 

V – Coleção Teatro Greco-romano (peças teatrais infanto-juvenis): 
Livro 1. O mito de Sísifo 
Livro 2. O mito de Midas 
Livro 3. A Caixa de Pandora 
Livro 4. O mito de Édipo. 

B - TEORIA TEATRAL, DRAMATURGIA E OUTROS
VI – ThM-Theater Movement: 
Livro 1. O teatro popular de bonecos Mané Beiçudo: 1.385 exercícios e laboratórios de teatro 
Livro 2. 555 exercícios, jogos e laboratórios para aprimorar a redação da peça teatral: a arte da dramaturgia 
Livro 3. Amor de elefante 
Livro 4. Gravata vermelha 
Livro 5. Santa Dica de Goiás 
Livro 6. Quando o homem engole a lua